• Ingrid Farias

Global Immunotalks: “Microbiota control of host Immunity” - Dra. Yasmine Belkaid

Updated: May 22


Nesta semana, na quarta palestra do Global Immunotalks, a Dra. Yasmine Belkaid, imunologista e pesquisadora sênior do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, palestrou sobre o controle da imunidade do hospedeiro mediado pela microbiota.


A microbiota desempenha um papel fundamental na indução, desenvolvimento e função do sistema imunológico do hospedeiro. Em troca, o sistema imunológico evoluiu amplamente como um meio de manter a relação simbiótica do hospedeiro com esses micróbios altamente diversos e em evolução. Ao operar de maneira ideal, esse crosstalk entre sistema imunológico-microbiota permite a indução de respostas protetoras a patógenos e a manutenção de vias reguladoras envolvidas na manutenção da tolerância a antígenos. Portanto é de grande importância entender como o sistema imunológico é capaz de trabalhar com a microbiota comensal do hospedeiro e quais os mecanismos que permitem o início desse diálogo. Dentro deste contexto, o grupo da Dra. Yasmine Belkaid mostrou que a associação da pele com comensais definidos, como S. epidermidis, leva à indução de células T CD8 + capazes de expressar IL-17A e IFN-γ de maneira restrita a moléculas de MHC Classe I não clássicas (MHCIb). Essas respostas são desacopladas da inflamação e altamente distintas das células induzidas por patógenos. As células TCD8+ específicas do comensal expressam uma assinatura genética definida, caracterizada pela expressão de genes efetores, juntamente com assinaturas imunorreguladoras e de reparo tecidual, capazes de acelerar a cicatrização de feridas.

Além disso, a Dra. Yasmine mostrou que, células MAIT (células T invariantes associadas à mucosa), localizadas predominantemente em tecidos colonizados pela microbiota, são induzidas durante uma janela específica do início da vida do hospedeiro em resposta a comensais sintetizadores de riboflavina (derivado da síntese de vitamina B2), imprimindo a abundância de células MAIT por toda a vida. A falta de exposição microbiana no início da vida resulta na ausência de células MAIT em adultos.

Após o seu desenvolvimento, devido aos comensais do início da vida, essas células foram capazes de responder localmente aos comensais da pele de uma maneira que dependente IL-1 e IL-18, bem como a apresentação de antígenos mediada pela molécula principal do complexo de histocompatibilidade MR1. A apresentação mediada por MR1 dos metabólitos da riboflavina foi necessária e suficiente para o reconhecimento dos comensais da pele pela MAIT e melhorou ainda mais o programa de reparo tecidual desses linfócitos. A estimulação microbiana das células MAIT estimula a produção de IL-17A dependente de IL-1 reforçando o programa de reparo de tecidos, demonstrando que as células MAIT contribuem para a fisiologia da pele.



Veja a palestra completa da Dra. Yasmine Belkaid (https://www.youtube.com/watch?v=W2psndBF64k) e acompanhe a série de palestras oferecidas todas as quartas-feiras às 13hrs (horário de Brasília) no canal da Immunotalks.


#GlobalImmunotalks2020 #Immunotalks2020



3 views

Recent Posts

See All

Molecular Immunology Lab

© 2020 Bortoluci's Lab - São Paulo Vila Clementino

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram