• Ingrid Farias

Global Immunotalks: “Cues guiding and restraining B cell responses" - Dr. Jason Cyster.

Na ultima semana o Global Immunotalks contou com a presença do Dr. Jason Cyster, pesquisador do Instituto Médico Howard Hughes e professor e vice-presidente do Departamento de Microbiologia e Imunologia da Universidade da Califórnia, em São Francisco. Em sua palestra, o Dr Jason falou um pouco sobre como as respostas das células B são iniciadas, os diferentes caminhos para gerar células centrais germinais e células de memória e como cada caminho afeta a diversidade, a seletividade e a afinidade de anticorpos.

O sistema imunológico é composto por vários tipos de células distribuídas em tecidos linfóides e não linfóides em todo o corpo. Compreender como as células imunológicas ajudam a manter os tecidos em um estado metabólico saudável e garantir a homeostase com comensais, ao mesmo tempo em que é capaz de responder rapidamente a invasores exige uma compreensão precisa de como eles se posicionam nos tecidos e como se comunicam. Esse desafio de pesquisa é exemplificado durante respostas imunes humorais, em que linfócitos B e T específicos para antígenos raros devem primeiro encontrar antígeno e depois interagir entre si para montar uma resposta de anticorpo. Portanto, decifrar os códigos de orientação que controlam os eventos de migração e interação de leucócitos durante a vigilância dos tecidos e a resposta imune são essenciais para o melhor entendimento destes sistemas.

Dr. Jason e seu grupo de pesquisa mostraram que várias quimiocinas são expressas nos órgãos linfóides e funcionam na orientação da migração linfocitária. Mais recentemente foi identificado um papel para um lipídio de sinalização intercelular, a oxisterol 7, 25-dihydroxycholesterol, na orientação de células B , células dendríticas (DC) e células T auxiliares folicular (TFH), movimentos de células e em apoio às respostas imunitárias humorais. Também mostraram como o oxysterol 25-hydroxycholesterol controla a produção de citocinas da família IL1 por macrófagos. Através da microscopia de dois fótons em tempo real, mostraram a dinâmica dos encontros de células B-antígeno em órgãos linfoides intacto. Este trabalho destacou novos papéis para macrófagos do revestimento sinusal e células dendríticas foliculares (CDFs). Foi mostrado também um papel para as quimiocinas na organização da estrutura em zonas claras e escuras e para o S1P e S1PR2 do centro germinativo, na promoção do confinamento em nichos e controle do crescimento. Por imagem em tempo real, caracterizaram a dinâmica de migração e interação das células B e T durante essas respostas.

Assim, foi mostrado que cada vez mais o “cross-talk” entre células imunes e o “eu” comensal envolve metabólitos e não apenas proteínas. Com o reconhecimento de que as células B e os anticorpos estão envolvidos na maioria dos tipos de resposta imune e a percepção de que os processos inflamatórios contribuem para uma gama maior de doenças do que se acreditava anteriormente, podemos ter certeza de que a descoberta orientada sobre a biologia das células B levará a mais e melhores abordagens para manter a saúde e combater doenças no futuro.

Para mais informações veja a palestra completa do Dr. Jason Cyster (https://www.youtube.com/watch?v=Sl6DADD_7PE) e acompanhe a série de palestras oferecidas todas as quartas-feiras às 13hrs (horário de Brasília) no canal da Immunotalks.






0 views

Molecular Immunology Lab

© 2020 Bortoluci's Lab - São Paulo Vila Clementino

  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram